Cultura nórdica e seu incrível senso de comunidade

22 de fevereiro de 2023
Gisele Abrahao

Acredito muito que a cultura nórdica em seu mais puro sentido de comunidade deveria ser uma prioridade para todos como sociedade. Volto um pouco no tempo para dividir uma experiência que me fez repensar sobre senso coletivo e nossas responsabilidades.

Tive a oportunidade de viajar para os Estados Unidos para passar férias em família entre 2021 e 2022. Eenquanto estávamos nos aventurando pelas estradas norte-americanas, começaram alguns boatos de uma nova onda de transmissão de Covid-19, de uma nova cepa, algo que até aquele momento, era novidade para todo mundo. Vimos em poucos dias os casos nos EUA aumentarem e estávamos quase para voltar ao Brasil e também soubemos que por lá também estava da mesma forma.

Como ficamos em movimento desbravando lugares como parques nacionais e trilhas, sempre que precisávamos fazer alguma parada, era sempre em locais afastados, nos protegemos o máximo que conseguimos e sempre respeitando o ambiente que estávamos para também preservar outras pessoas. E em uma conversa em família, passamos esse pensamento e direção para seguir nossa viagem adiante. Preservamos e cuidamos uns dos outros, entendendo que nossas ações também geram consequências no ambiente em que estamos, então elas deveriam ser tomadas pensando no coletivo.

Cultura Nórdica – Noruega e seu senso coletivo

Acredito muito que esse senso de comunidade deveria ser uma prioridade para todos como sociedade. É um valor muito nobre a se preservar. É respeito por ser de ou estar em um lugar, tratar e cuidar daquilo que possui para continuar se desenvolvendo. Divido esse pensamento, pois durante nossos dias de estrada, em muitos momentos me peguei pensando nesses preceitos que me remetem à Noruega.

cultura nórdica - Lofoten - Crédito VisitNorway
Lofoten – Crédito VisitNorway

O país é lindo, tem lindas paisagens, belos fiordes, aurora boreal, sol da meia-noite, toda riqueza de experiências possível… mas o que mais me atrai, mais me inspira em sempre voltar para o país, são as pessoas. Aquela cultura e tradição nórdica. Eles entendem que são parte de um todo, não só quando pensam em sua comunidade, mas também com atitudes de respeito com desconhecidos e com seu país. Respeitar horários marcados, ter condutas gentis com o próximo, preservar e se preocupar com a sustentabilidade é um dever de todos…O senso coletivo prevalece entre as relações, elas são pré-estabelecidas pela moralidade, mas são cumpridas com perfeição e sorriso no rosto.

Não é o pensar em mim, mas em nós. Se todos pensarem e agirem respeitando o tempo e espaço do próximo, tudo flui mais leve porque todos fazem o mesmo. E eu sempre penso muito nisso, em tentar focar no que é prioridade coletiva. Dar o espaço para ouvir, para errar, entender necessidades, agir em conjunto e com valores. Seja com minha família, seja no meu trabalho. Hoje entendo que as consequências das minhas atitudes afetam o ambiente ao redor, então ela deve ser tomada em prol de todos.

Será que fui nórdica na vida passada? Pois realmente me encanto e aplico essas “antigas tradições” em minha vida!

Agora uma Dica: Indico um texto que li aqui mesmo no Lugares Pelo Mundo sobre o relato de um colaborador da plataforma sobre sua percepção do país. Pode clicar aqui, que você irá direto para esse artigo aqui dentro!

VEJA também NO LPM!