Fritz Müller: a influência de Blumenau na Teoria da Evolução de Darwin

20 de agosto de 2021
LPM

É fato conhecido que a Teoria da Evolução das Espécies consagrou Charles Darwin como um dos principais naturalistas no século 19, mas o que poucos sabem é que Blumenau, em Santa Catarina, teve grande participação neste estudo por meio do naturalista e botânico Fritz Müller.

Müller nasceu na Alemanha, em 1822. Por desacordos políticos e sociais em seu país, mudou-se com a família para o Brasil em 1852, escolhendo Blumenau para se estabelecer. Formado em filosofia, matemática e história natural pela Universidade de Berlim, Fritz Müller fica impressionado com a fauna e a flora da região e dá início ao seu trabalho como naturalista no Brasil, documentando boa parte de suas descobertas na natureza brasileira.

Em 1864, escreve seu primeiro livro “Fur Darwin” (Para Darwin) com comprovações que corroboram a teoria evolucionista. Suas observações sobre a teoria de Darwin e estudos em solo brasileiro foram tão relevantes que chamaram a atenção do próprio autor Charles Darwin que, por sua vez, propôs a Müller a tradução de sua obra para o inglês e sua difusão na Europa.

Durante muitos anos, os dois cientistas frequentemente se comunicavam, especialmente por cartas, para trocar conhecimentos. O nome de Müller foi, inclusive, citado em diversas edições dos trabalhos de Darwin. Foram quase 20 anos, trocando diversas correspondências, com novas descobertas e curiosidades sobre a flora brasileira e contribuições mútuas. Embora nunca tivessem se conhecido pessoalmente, Darwin e Müller se consideravam amigos.

Fritz Müller foi um naturalista de extrema importância, não apenas pelo envolvimento com os estudos de Darwin – de quem recebeu o apelido de Príncipe dos Observadores -, mas também por sua extensa contribuição na documentação e no estudo da fauna e flora brasileira, em especial de Santa Catarina.

A cidade de Blumenau possui diversas homenagens ao naturalista. Há uma estátua instalada na praça que leva o seu nome e o Museu de Ecologia Fritz Müller, instalado na antiga residência do cientista na cidade. Com um rico acervo de animais empalhados, insetos e espécies botânicas, o museu reúne ainda objetos que pertenceram a Fritz Müller e uma biblioteca recheada de obras especializadas em meio ambiente. Nos jardins ao redor do Museu há diversas espécies de plantas estudadas pelo cientista.

Desde o ano passado, eventos e celebrações em escalas municipal, estadual e nacional vem sendo organizados para lembrar os 200 anos de nascimento de Fritz Müller e o legado que deixou para a história brasileira.

Para acompanhar o bicentenário do naturalista, que será oficialmente celebrado no ano de 2022, turistas e interessados em ciência podem visitar a partir deste mês de agosto a exposição ao ar livre “Fritz Müller, 200 anos”, em dois pontos da cidade de Blumenau: Alameda Rio Branco, e em uma área dentro da Prefeitura de Blumenau.

Por meio de painéis fotográficos, ilustrações e textos, os visitantes podem viajar no tempo e aprender mais sobre ciência e natureza e conhecer em profundidade a história de vida do naturalista Fritz Müller. É inegável a contribuição de Müller, um dos primeiros cientistas a levar o conhecimento produzido no Brasil para o mundo.

VEJA também NO LPM!