Afroturismo – Roteiros que valorizam a cultura afro-brasileira

25 de abril de 2024
LPM

Afroturismo ganha cada vez mais espaço entre as modalidades de turismo convencionais, ampliando ainda mais seu termo, também conhecido como turismo étnico. Essa vertente promove e valoriza a cultura afro-brasileira, envolvendo diversas experiências que “passeiam” por história, arte, gastronomia e tradições em diferentes roteiros que respeitam e exaltam com propriedade a cultura preta.

Esses roteiros buscam, além de estimular o desenvolvimento socioeconômico de comunidades e regiões periféricas ligadas à heranças africanas, com profissionais pretos na gestão e realização,  proporcionar a inclusão no setor de viagens, reconectando a identidade através de experiências afrocentradas, evidenciando a história e participação no desenvolvimento da sociedade pela perspectiva negra.

O Brasil abriga a segunda maior população negra do mundo, a maior fora da África. A miscigenação da população brasileira é muito diversa e conta com colaboração de diferentes etnias. Estima-se que 56% da população brasileira recebeu heranças africanas, conhecer então suas culturas, histórias, tradições e vivências em território nacional… é conhecer os patrimônios materiais e imateriais da nossa própria história. 

Há diversas cidades brasileiras que possuem agências e comunidades especializadas no afroturismo exaltando a ancestralidade africana e engana-se que é um “produto” voltado apenas para o público negro. São experiências e roteiros que exploram o ponto de vista da cultura afro-brasileira em locais importantes e históricos do nosso país, incluindo tours guiados, hospedagem, passeios para quilombos e tours com enfoque nas religiões de matriz africana.

Conheça também o Guia Negro, “uma plataforma de afroturismo, que realiza experiências turísticas em diversas cidades brasileiras, faz consultorias, produção independente de conteúdo sobre viagens, cultura negra, afroturismo, movimentos e black business”.

Lugares como Pernambuco, Salvador, Maranhão, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo contam com roteiros de afroturismo disponíveis para serem realizados. E mais recentemente, o estado do Mato Grosso do Sul lançou seu primeiro roteiro de afroturismo pelo Pantanal, símbolo da cultura sul-mato-grossense.

Afroturismo no Pantanal do Mato Grosso do Sul

O primeiro roteiro de afroturismo no município de Corumbá, capital do Pantanal do Mato Grosso do Sul foi lançado no mês de abril de 2024. O roteiro Kaô, Corumbá de Xangô é realizado pela Bela Oyá Pantanal, startup de inovação social pioneira como agência receptiva de afroturismo no estado.

A programação e atividades conectam os visitantes aos principais lugares e pessoas da cultura afro-brasileira pantaneira, acontecendo às margens do Rio Paraguai com duração de quatro horas e ocorre durante o banho de São João de Corumbá, maior festa junina do centro-oeste e reconhecido como Patrimônio Cultural e Imaterial do Brasil que remonta às origens da cidade e mistura a cultura católica e afro-brasileira.

A Bela Oyá Pantanal oferece três circuitos divididos em alguns roteiros que podem ser percorridos: Circuito Corumbá Negra, Circuito Corumbá por Oyá e Circuito Batuques no Pantanal de Corumbá.

Referências e Indicações:

Instagram Bela Oyá Pantanal

Guia Negro e seu Podcast

Rotas NegrasO Projeto Rotas Negras tem o intuito do fortalecimento de circuitos afrocentrados no Brasil, a partir dos municípios que já fizeram adesão ao Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial – SINAPIR.

Experiências do Brasil OriginalCom o objetivo de ampliar e diversificar a oferta turística brasileira o Ministério do Turismo, em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF), desenvolveu o projeto Experiências do Brasil Original, criando experiências turísticas memoráveis ofertadas por povos indígenas e quilombolas em seus territórios.

Quer saber mais sobre o Mato Grosso do Sul? Acesse o link: https://www.visitms.com.br

Esse conteúdo é uma parceria com a Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul

VEJA também NO LPM!